A importância do toque

Sensitive massagem ressignifica o Toque

Hoje vou falar sobre algo que para mim é tão importante quanto ar que respiramos, água ou alimentos: O TOQUE. E todo afeto que vem dele.

E além de já termos essa noção empiricamente, ciência tem muitas comprovações sobre a relevância que tocar e ser tocado tem na nossa vida.

Se você ainda não se convenceu, dá um pesquisada no experimento de Harry Harlow, que entre as décadas de 50 e 60 confrontou a sociedade pós-guerra que não valorizava demonstrações de afeto – nem mesmo com crianças – que o amor não só é desejado como vital para o desenvolvimento da espécie.

Apesar de cruel e nada ético o estudo é eficiente. Ele pegou filhotes de macacos rhesus para defender que o acolhimento, o aconchego físico, o amor transmitido via toque, são tão importantes quanto a própria alimentação.

Harlow, separou os filhotes de suas mães e os colocou na presença de duas “mãezinhas” arame. Uma delas era apenas a armação. A outra foi coberta com um pano felpudo e ganhou uma carinha de macaco. As duas tinham uma engenhoca que através de uma mamadeira dava leite para os pequeninos macacos.

O que você acha que aconteceu? O cientista observou que os macaquinhos preferiam ficar junto com a estrutura macia, mesmo quando a outra era equipada com uma espécie de mamadeira que lhes oferecia leite.

Foi até divulgada uma foto mostrando um macaquinho “no colo” da estrutura peludinha, se esticando para pegar o leite na “mãe” só de arame. Havia maior necessidade dos macaquinhos em. Olhar mais para a mãe felpudinha e corriam em direção a ela quando se sentiam assustados com alguma coisa e precisavam de conforto.

Por outro lado, quando só a estrutura de arame estava por perto, eles se sentiam inseguros, paralisados e não conseguiam explorar o ambiente.

De lá para cá, outros estudos que se seguiram reforçaram que o contato físico é importante para desenvolver confiança e empatia e que isso teve implicações na evolução da espécie humana. Descobriu-se que beijos e abraços na infância podem até mesmo alterar o DNA. E não achologia… volta lá para o Google e pesquisa sobre neurocientista Stevens Rehen, e a seguinte frase. “Um carinho modifica a expressão de nossos genes, a produção de oxitocina, o julgamento, o impacto sobre o desenvolvimento humano e sua falta pode ter consequências duradouras”, explica o professor da UFRJ e pesquisador do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR).

Agora que a gente passou e está passando por esse momento maluco onde beijar e abraçar trazem toda uma carga de perigo ou repressão, se torna ainda mais vital que a gente valorize a troca de afeto, os toque com intenção e vivencie a possibilidade de tocar e ser tocado.

A imagem desse post é da massagem sensitive. Através dessa técnica pude ressignificar tantas, tantas sensações na minha vida. Recomendo fortemente que todas e todos que puderem aplicar e receber esse toque simplesmente o façam. Muda Tudo. Da pele para dentro. E dentro para fora.

Deixe uma resposta