Psicologia Junguiana e as técnicas do Tantra

psicologia jungiana tantra

A natureza do Tantra é similar à natureza da arte: joga luz no subconsciente

O campo da psicologia Junguiana chegou próximo do entendimento dos efeitos do Tantra. Além disso, perceber a própria mística do Tantra como algo banal, que envolve a conduta dos pensamentos, perceber o próprio papel, ou seja, ter uma visão natural sobre a mística. Alguns cientistas dizem que a diferença para o homem de um animal não tem nada a ver com auto consiência, pensamentos, polegares opositores. Uma das diferenças que vai no cerne da questão humana: a suspeita e a percepção de uma conexão com o todo.

Expansão da consciência

Por isso, os fetiches de antropólogos seriam outros, caso passassem pela experiência tântrica. O que acontece quando alguém que medita chega ao samadhi? Bom, a linha de pensamento da resposta seria: como é o processo de alguém que sai de um patamar de consciência tal e expande para duas vezes mais consciência? O filme Lucy faz um exercício de valor, mas ainda assim, com suas próprias facetas. A arte imita a vida!

Então, a ideia de “selvagens” está viva no imaginário das pessoas. E é normal essa ideia estar junto da ideia de “tribos” da natureza. Quando um acadêmico olhar para um texto hindu de Tantra, tendo a ótica mística ou não, ele pode no máximo criar uma imagem ideal do significado dos escritos. Ou seja, passar pela experiência da transformação importa muito para entender os escritos. Em qualquer ciência é assim! Na parte de ciência aplicada, existe um monte de coisa que não tinha passado se quer uma suspeita da ciência teórica. As duas se complementam, mas a ciência aplicada dá os insights.

A psicologia do Tantra e a linha Junguiana

Entre em umas aulas práticas de artes ou de atividades físicas, ou melhor: das duas! Sem mais esperas, porque a vida é pra ser vivida. Em terapia Tântrica, gosto de pausar o desenvolvimento corporal da pessoa para dar um tempo de ela viver sua própria integração. Ou seja, fazer umas semanas de terapia tântrica e então partir para a vida! Depois da terapia, a praticar o Tantra Yoga. O caminho, dizem, não é dessa vida. Se você está chegando no Tantra agora, e não se sente okay, pode ir praticar Yoga mesmo. Ou ir se desenvolver em outros campos. Estudar a própria língua é um jeito de entender de Tantra: como você se expressa diz muito para si mesmo.

O jogo de imagens, cores, cheiros, formas, sons, gostos. Mas se sabe que não adianta romantizar: as dificuldades na Índia são ainda maiores quando comparadas ao ocidente. As pessoas criam ilusões de que lá não existe mesquinharia e que conto da Aia fica no material. Ora, para o Tantra, desenvolver o material significa crescer seu espírito. “Adeus às ilusões”: é importante deixar o véu de maia ir embora.

Linha Junguiana de psicologia tântrica

Assim, não adianta forjar ferramentas de expansão da consciência. O Tantra que gera tanta polêmica é simples e natural. A polêmica surge, na realidade, porque estamos vivendo por demais em repressão: o estado da sexualidade foi posto de escanteio. Agora, a forma de lidar com a energia sexual, natural e desprendida, é só uma parte do processo que ocorre dentro do Tantra. O lindo processo de expandir a consciência envolve som, movimento e respiração. Por isso eu digo: quer fazer Tantra sem fazer Tantra?

Quando pensamos nos sonhos, na comunicação com o subconsciente, e interpretação Junguiana de sincronicidade, esse empirismo envolve métodos do Tantra. Mesmo sem termos uma “confissão” do Jung! Sincronicidade é algo que remete ao conceito de “Rede”, um dos significados da palavra Tantra e envolve intuições “inexplicáveis”. Mas a ciência vai explicar de forma mais objetiva essas tais sabedorias Tântricas. De qualquer forma, você não precisa esperar a ciência explicar para começar a praticar.

Um ponto de partida está no superar do dual. Quando vemos a quantidade de impactos que as morais duais geram na psicologia do indivíduo ficamos assustados! Um jogo de certo e errado interminável. A partir das práticas tântricas, superamos tais realidades duais, e a interpretação mítica dos fatos e da psique, dos arquétipos, ajuda no processo: sejam eles das artes, dos esportes, ou do seu processo de análise e auto análise.

Originalmente publicado em https://attitudetantra.com em 30 de Maio de 2021

Posted In

Deixe uma resposta